"Não canso de dizer: o ballet é a minha segunda pele".

segunda-feira, 21 de abril de 2008

"Giselle"- abertura da temporada de 2008


Giselle abre temporada de balé do Theatro Municipal do Rio
10/04/2008 - 15h27
Giselle é apontada como a mais popular personagem de balé clássico em todo o mundo e sonho de praticamente toda aspirante à bailarina. Clássico do repertório mundial, o grandioso balé homônimo, com 52 personagens, ganha o palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro a partir do dia 12 de abril para abrir a temporada 2008 de balé com um total de oito apresentações. Encenada por algumas das maiores companhias internacionais, a versão assinada pelo coreógrafo inglês Peter Wright integra o repertório do Balé do Theatro Municipal desde 1982. No papel-título, se revezam as bailarinas Ana Botafogo,Cecilia Kerche, Claudia Mota e Márcia Jaqueline. Vitor Luiz e o espanhol Jesús Pastor, artista convidado, se alternam no papel de Albrecht. À frente da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal estará o maestro Silvio Viegas. O balé conta com a direção e mis-en-scène de Desmond Kelly, supervisão artística de Dalal Achcar e direção do Corpo de Baile do TMRJ de Marcelo Misailidis.
Criado em 1841, Giselle foi a segunda obra dentro do estilo romântico, precedida por La Sylphide, de 1832. Trata-se de uma tragédia envolta numa atmosfera misteriosa e sobrenatural, que está na origem do Movimento Romântico. É uma obra que vem encantando o público há mais de um século e meio, e constitui-se em um ponto de referência na história da dança.
Giselle nasceu a oito mãos: do escritor Theóphile Gautier, do libretista Vernoy de Saint-Georges e da vivência dos coreógrafos Jean Coralli e Jules Perrot. A obra reflete uma nova estética e um novo conceito cênico: o drama-balé, em que elementos do teatro se harmonizam com a dança. O resultado é um balé suave e ousado, em acentuados contrastes, que contrapõem o primeiro ao segundo ato. De um lado, o realismo do cotidiano. Do outro, seres incorpóreos e imateriais. A música foi composta por Adolphe Adam.
Para o maestro Silvio Viegas, o balé exige desafios diferentes da regência: "O balé é uma realidade para o maestro tão incomum quanto a ópera. Existe uma flutuação, um ritmo próprio. O guia ainda é a música, mas o maestro precisa acompanhar o ritmo do corpo do bailarino, buscando a todo tempo a expressão entre esses dois grandes signos que são a música e a dança."
História de amor mistura realidade e fantasia
O primeiro ato de Giselle se passa numa pequena aldeia de camponeses, no dia da festa da vindima, o fim da colheita da uva. Giselle é uma jovem doce e humilde, filha de Berthe. A alegria de seu coração puro conquista o amor do duque Albrecht. Apaixonado, ele se veste de camponês e faz a corte à moça. Giselle, que acredita tratar-se apenas um rapaz da vila chamado Loys, apaixona-se por ele. Devido às diferenças sociais e por ser o noivo de Bathilde, a filha do Duque de Courland, esse amor jamais se realizará. Mesmo assim Albrecht mantém a farsa, alimentando as esperanças da jovem.
Entra em cena Hilarion, o jovem guarda-caças da vila, que também está loucamente apaixonado por Giselle. Ele tenta interromper o idílio, lembrando seu amor por ela. Mas Giselle, apaixonada por Loys, repele Hilarion, juntando-se alegremente às suas amigas e companheiros.
A chegada de uma grande comitiva de caça, encabeçada pelo Duque de Courland e sua filha Bathilde dá a Hilarion a oportunidade para agir. Preterido e despeitado, ele desmascara seu rival durante a festa da vindima da aldeia, em que a jovem amada é coroada rainha da colheita. Surpreendida pela revelação, Giselle procura afogar sua desilusão numa dança frenética. Enlouquece e suicida-se com a espada de Albrecht. Assim, termina a primeira parte.
O segundo ato começa à meia noite, em meio a uma clareira na floresta, um lugar sinistro, com árvores retorcidas e uma atmosfera de suspiros e lágrimas. Ali se passa o baile mágico da Willis, espíritos de jovens que morreram antes do dia do seu casamento. Para vingar-se, elas se reúnem e obrigam os rapazes que encontram pelo caminho a dançarem até a morte.
Neste lugar, Hilarion está de vigília na sepultura de Giselle. Surge uma sombra transparente e pálida. É Mirtha, a rainha das Willis. Em seguida surgem outras Willis, que se agrupam graciosamente em torno dela. Então, elas tiram Giselle de sua sepultura para iniciá-la em seus ritos. Albrecht chega trazendo flores e Giselle surge para ele, que tenta pegá-la, mas ela desaparece e ele sai à sua procura.
Neste momento, Hilarion é pego pelas Willis. Mirtha, a rainha, ordena que ele dance até à exaustão. As Willis começam então uma orgia alegre, dirigida por sua rainha triunfante, quando uma delas descobre Albrecht e o traz para o círculo mágico. Mas no momento em que Mirtha vai tocá-lo, Giselle se lança na frente de Albrecht, protegendo-o com a cruz de seu túmulo, até o momento em que surge a aurora, quebrando o poder da Willis.
Jesús Pastor, artista convidado
Nascido e criado em Madri, começou seus estudos de dança na Escola de Victor Ullate, graduando-se no Royal Conservatory of Madri. Entrou para a Cia de Ullate em 1992, e tornou-se Bailarino Principal em 1996, dançando todo o repertório da Cia. Em 1995, ganhou medalha de ouro na Eurovision Competition para jovens bailarinos. Apresentou-se em diversas Companhias do mundo como o Balletto di Torino, Compañía Nacional de Danza (Madri), Ballet de Zaragoza, Scottish Ballet, English National Ballet e American Ballet Theatre. Seu repertório inclui obras de Balanchine, Maurice Béjart, Nacho Duato, Victor Ullate, Patrick de Bana, Hans van Manen, William Forsythe, Rudi van Dantzig, Jiri Kylian, Niels Christie, Jean Christophe Balviet, Luc Bouy.
SERVIÇO
Solistas por data:
Ana Botafogo / Jesús Pastor - 12 e 16
Cecília Kerche / Vitor Luiz - 19 e 21
Claudia Mota / Jesús Pastor - 18 e 20
Márcia Jaqueline / Vitor Luiz – 13, 15 e 17
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano s/nº - Centro
Estréia:
Dia 12 de abril às 21h
Demais récitas:
Dias 13, 20 e 21 de abril às 17h
Dia 15 de abril às 14h
Dias 16, 17 18 de abril às 20h
Dia 19 de abril às 21h
Preços:
Platéia e Balcão Nobre - R$ 70,00
Balcão Simples - R$ 50,00
Galeria - R$ 25,00
Frisas e Camarotes - R$ 420,00 (seis lugares)
Classificação etária - Livre
Informações: 2299-1711
Bilheteria: 2299-1676

2 comentários:

campea disse...

Se palavras fossem suficientes para se conseguir expressar o quão maravilhosa é este ser "Cecília Kerche" é, tais expressões calariam quem tivesse a menor dúvida desta que é uma DIVA da dança. Feliz daquele, que pode ter a oportunidade de ve-la dançar...
Wellem seu trabalho está divino. Beijos Greice

luciana disse...

Uma carreira consolidada sobre muita dedicação,valores e,sobretudo um amor incondicional à dança.
Cecília sempre nos surpreende,nos encanta,nos emociona em seus espetáculos.Sua dança é um espetáculo à parte,uma suavidade tão marcante em seus gestos confere aos seus movimentos uma expressão única.Em Giselle,Cecília nos fez estar ali,vivenciando com a personagem todo o seu drama: o amor,a loucura,o desespero...
Cecília dança com a alma,entrega-se de tal forma ao personagem,cumprindo assim a divina missão do artista: despertar emoções,transportar o espectador a uma outra dimensão...Tanta nobreza no desempenhar dessa especial missão fazem de Cecília uma bailarina tão admirada por nós,merecedora de todos os nossos aplausos,todo o nosso carinho e agradecimento.